No Dia do Trabalho, Jair Bolsonaro critica os partidos de esquerda e as centrais sindicais

Apoiadores do opresidente Jair Bolsonaro realizam ato em frente ao prédio da FIESP, na Avenida Paulista, em São Paulo

Bolsonaristas fizeram manifestações em diversas cidades

Matheus Muratori
Estado de Minas

O feriado do Dia do Trabalho, segundo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou de ”cor” no país. O governante destacou, na manhã deste sábado (01/05), dia marcado pela data comemorativa, que, agora, o Brasil tem “bandeiras verde-e-amarela” no lugar de vermelhas e tremuladas por “homens e mulheres que trabalham de verdade”.

“Este momento também é muito importante, afinal de contas, quando no passado, nesta data, 1º de maio, o que nós mais víamos no Brasil eram camisas e bandeiras vermelhas tremulando, como se aqui fosse um país socialista. Esta questão, hoje, mudou, e bastante”, começou Bolsonaro seu discurso, durante participação ao vivo e on-line na abertura da 86ª ExpoZebu, de Uberaba, cidade do Triângulo Mineiro, na manhã deste sábado, ao lado da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

VERDE E AMARELA – “Hoje, estamos tendo o prazer e a satisfação de ver bandeiras verde e amarela por todo o nosso país. Homens e mulheres que trabalham de verdade, que sabem que o bem maior que nós podemos ter em nossa pátria é a nossa liberdade. E a união dessas pessoas de bem que nós garantiremos, então, esse nosso sagrado direito”, completou.

O presidente se referia ao fato de que, neste sábado, várias cidades registraram manifestações pelo Dia do Trabalho. Na maioria delas, os cidadãos usavam usavam roupas verde e amarela e eram apoiadores do atual governo federal.

Bolsonaro aproveitou e fez críticas aos governos anteriores, todos do Partido dos Trabalhadores (PT) ou com alguma relação. Disse que agora o Primeiro de Maio não é mais vermelho, marca registrada do PT, assim como a estrela. Como se sabe, a data também é uma data muito celebrada pela sigla, por conta da origem operária.

8 thoughts on “No Dia do Trabalho, Jair Bolsonaro critica os partidos de esquerda e as centrais sindicais

  1. por quê os sindicatos estão livres de prestarem junto aos orgãos de fiscalização da grana que estes recebem, bem como dos ditos representantes dos estudantes?
    por quê não há renovação nos diretorios? sempre os mesmos. tem despresidentes que só largam o jabá quando morre?entra sem grana e fica milionário.

  2. O primeiro parágrafo me parece destorcido, não sei se por engano ou por má fé: ” …o Brasil tem “bandeiras verde-e-amarela” no lugar de vermelhas e tremuladas por “homens e mulheres que trabalham de verdade””. Isto dá a ideia de que o Borsa teria falado esta frase desta forma e não foi.
    Outra coisa: faltou coragem de comentar sobre a “impopularidade e derrocada” do presidente tão apregoada neste site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *