Reforma dos quatro Pilares da Prosperidade

Flávio José Bortolotto

Em recente artigo, o ilustre prof. Cristovam Buarque, que escreve tão bem, nos mostra que os quatro Pilares da nossa Prosperidade: (Democracia, Responsabilidade Fiscal, Bolsas de Transferência de Renda e Crescimento Econômico), estão se esgotando e necessitam de reforma.

Como o senador Cristovam Buarque não dá a mínima pista sobre essas reformas, eu arriscaria as seguintes sugestões para completar tão excelente artigo:

DEMOCRACIA: Adaptar ao Brasil o Sistema Americano. Autonomia dos Estados e Comarcas; Distritalização Pura; Voto Facultativo; Bipartidarismo com Independentes ou só com Independentes como era lá, USA, no começo; Voto Direto para todos os Fiscais dos três Poderes; Voto Direto para Delegado de Polícia, Procuradores Públicos, etc,; recall de maus Representantes.

RESPONSABILIDADE FISCAL: Reduzir o Déficit Público dos atuais 3,5% do PIB para 0% do PIB em 4 anos, cortando exclusivamente o Custeio. Reduzir o Déficit do Balanço de Pagamentos Internacional dos atuais cerca de US$ 100 bilhões/ano, para Zero em 8 anos, via aumento do Superávit da Balança das Contas Correntes (Visíveis e Invisíveis). Usar o Crédito Soberano da Nação via Banco Central.

BOLSAS DE TRANFERÊNCIA DE RENDA: Reduzi-las em 10% ao ano, à medida que vai se treinando/empregando a mão de obra ociosa até zerar as bolsas.

CRESCIMENTO ECONÔMICO: Elevar o Investimento Público e Privado dos atuais cerca de 19% do PIB para 25% do PIB o que gera um crescimento do PIB de 5% ao ano, em dois anos, e a partir daí aumentar 0,5% ao ano, todo ano, até o Pleno Emprego.

Usar o Crédito Soberano da Nação, via Banco Central, para ampliar toda a infraestrutura produtiva (Saúde – Esgoto – Água Tratada – Escolas tipo CIEPS de 2 turnos com salários dobrados aos atuais professores em sala de aula – Energia – Transportes – Comunicação – Pesquisa & Desenvolvimento).

Dar total segurança jurídica a todos os agentes econômicos, Participação nos Lucros aos Empregados e repasse integral ao Salário da Taxa.de Inflação + Taxa.de Produtividade todo ano, Pleno Emprego com salários crescentes. Prioridade total para a empresa nacional. Capital bom é o capital brasileiro. O que gera Riqueza é o Trabalho Humano, assim o primeiro passo é empregar todos em trabalhos produtivos. Taxar bastante os ganhos de Capital e pouco os salários e os Lucros/Consumo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *