Supremo deve rejeitar o silêncio de Pazuello ao depor na CPI da Covid

Governo tenta esquivar Pazuello do comparecimento à CPI

Pedro do Coutto

O Supremo Tribunal Federal, logicamente, deve rejeitar o recurso do Advogado Geral da União, André Mendonça, para que Pazuello permaneça em silêncio na convocação da CPI da Pandemia, depoimento marcado para quarta-feira, dia 19.  Reportagens de O Globo e da Folha de São Paulo focalizam amplamente o tema. No O Globo, a matéria é assinada por Jussara Soares, Marina Muniz, Julia Lindner e Filipe Vison. Na Folha, por Matheus Teixeira e Marcelo Rocha.

O relator no STF é o ministro Ricardo Lewandowski que, ainda hoje, deve examinar a questão, pois certamente a AGU pediu um desfecho rápido, que anteceda a proxima quarta-feira. O recurso de André Mendonça não tem sentido, pois o general Pazuello está convocado como testemunha e não como indiciado pela Comissão de Inquérito. Ele poderá ser acusado numa etapa posterior às suas explicações.

ESQUIVA – Está claro. Tem que se levar em conta a possibilidade de suas declarações serem aceitas como legítimas pela audiência marcada. Tentando esquivar Pazuello do comparecimento, o governo Bolsonaro passa tacitamente um temor pelo que o ex-ministro da Saúde possa declarar.

Logo, a situação do Planalto é de risco, através de uma tentativa de fuga que não se coaduna com a postura ética do governo, pois se o ex-ministro errou, o que o governo tem a fazer é consertar os seus erros e revelar que adotou novos caminhos para combater o coronavírus e a Covid-19 que está deixando um rastro de mortes que já ultrapassa a 420 mil.

VACINAS – Uma grande parte desse total teria sido evitada se o governo tivesse aceito propostas de compras de vacinas que lhe foram colocadas, a começar pela chinesa Corona Avc e na sequência pela Pfizer, cujo presidente da América latina depôs na CPI no Senado.

Um aspecto que deveria ser preocupação do governo e que está se tornando uma preocupação permanente da população é o que se refere à escala de contaminação diária com que o país hoje se defronta. Essa contaminação está atingindo a média de 70 mil homens e mulheres por dia e uma taxa de mortes superior a dois mil casos a cada 24 horas. O ministro Marcelo Queiroga, conforme já dito em outros artigos, precisa colocar o pé no freio.

9 thoughts on “Supremo deve rejeitar o silêncio de Pazuello ao depor na CPI da Covid

  1. O pazuello é investiGADO, tem todo direito de ficar calado.
    Se ele não for investigado, quem é?
    Se fosse ele, dava uma de testemunha falando.Pois se não abrir a boca, coloca-se na posição de investiGADO.

Deixe uma resposta para Marcio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *