PCC planejou ação contra Lira e Pacheco e atentado a bomba contra Sérgio Moro

Explosivos encontrados pelos investigadores em casa usada pelo PCC: material faria parte de plano de atentado a bomba contra Moro

Veja os explosivos e odetonador remoto que seriam usados

Gabriel de Sousa
Estadão

O Primeiro Comando da Capital (PCC) enviou para Brasília uma equipe para uma ação que ia ter como alvo o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). A facção mobilizou uma célula com três de seus integrantes e bancou seus custos – cerca de R$ 44 mil –, como estadia, celulares, aluguéis, seguro, IPTU, mobília, transporte e até compra de eletrodomésticos. As investigações encontraram ainda explosivos, que seriam usados em um atentado a bomba contra o senador Sérgio Moro (União-PR).

TERROR EM BRASÍLIA – A existência do relatório feito pelo Ministério Público de São Paulo e encaminhado à Polícia Federal (PF) em 23 de novembro de 2023 – Lira e Pacheco também receberam cópias e foram avisados sobre os planos da facção – foi revelada pela Folha de S. Paulo.

O Estadão obteve cópia do documento. De acordo com ele, Janerson Aparecido Mariano Gomes, o Nefo, que comandava o plano para sequestrar Moro em 2022, movimentou três integrantes da Sintonia Restrita, o setor do PCC responsável por ataques a autoridades e planos de resgate de presos, para Brasília.

Os bandidos envolvidos nos planos da facção eram Sandro dos Santos Olimpio, o Cisão, e dois outros conhecidos como Felipe e Neymar. As prestações de contas dos meses de maio, junho e junho de 2023 da chamada Sintonia Restrita para a Sintonia Final da facção – a cúpula chefiada por Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola –, mostram que havia “uma missão no Distrito Federal”, onde alguns de seus integrantes alugaram um imóvel por R$ 2,5 mil por mês para servir de base de apoio.

FM DA BAIXADA – Em 29 de maio, há uma anotação sobre o uso de transporte por aplicativo durante 15 dias para “correr atrás do terreno para compra”. O dinheiro, ainda segundo o relatório, era bancado pelo caixa da chamada FM da Baixada, a célula que gerencia a venda de drogas na Baixada Santista, uma das principais da facção paulista.

A primeira vez que o possível plano contra os presidentes das duas casas legislativas chegou ao conhecimento dos federais foi durante a apuração do atentado contra o senador Sérgio Moro, alvo da operação da PF em março deste ano, quando nove pessoas foram presas, entre elas Nefo.

Em meio ao material apreendido na operação, os federais encontraram, nos celulares encontrados com os acusados, imagens das residências oficiais dos presidentes da Câmara e do Senado, capturadas em 29 de novembro de 2022, com comentários , bem como uma pesquisa no site Trovit sobre imóveis na “Península dos Ministros”, no Lago Sul, bairro nobre de Brasília.

CONTROLE REMOTO – A PF ainda demonstrou o planejamento, a preparação e como seria a execução do atentado contra Moro, cuja coordenação esteve a cargo de Nefo. No dia 19 de julho, os federais encontraram, no imóvel da Rua Coronel José Ribeiro de Macedo Junior, em Curitiba, uma casa usada pelo grupo, explosivos e materiais para acionamento remoto dos artefatos.

Eram 26 rompedores de rocha da marca Pyroblast de tamanhos variados, 31 iniciadores elétricos e uma maleta de acionamento eletrônico da mesma marca. Para a perícia, tudo seria usado em um atentado.

De acordo com o depoimento de Nefo aos federais, a Sintonia Restrita da facção foi criada para atuar em situações diferenciadas, de alto grau de sigilo e risco, normalmente a partir de ordens da cúpula, em casos de grande repercussão nacional, ligados a atentados contra autoridades e servidores públicos, não só contra integrantes das forças de segurança, mas também contra membros dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Grupo binacional – A Sintonia Rrestrita foi criada em 2014, quando o PCC estabeleceu uma aliança com a guerrilha paraguaia do EPP (Exército do Povo Paraguaio), grupo responsável por sequestros e atentados no país vizinho.

De acordo com o relatório, um dos pontos dessa aliança seria o treinamento de integrantes do PCC pelos guerrilheiros, que incluía prática de tiro, conhecimento de emprego de explosivos e táticas de guerra.

Essas preparações eram feitas para qualificar o grupo de elite do PCC que seria utilizado em missões que necessitavam de “resposta morte”. Além de Nefo, houve a prisão de Cisão em 10 de outubro de 2023 por policiais da Rota.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Ao contrário da Croácia, da Venezuela e de Israel, o Brasil está em guerra, mas ainda não percebeu e continua a obrigar as pessoas a não usarem armas, inclusive policiais aposentados e militares reformados. É claro que desse jeito se torna um paraíso para criminosos. Lembrem que o país com mais armas na população é a Suíça, onde é raro acontecer um crime que não seja financeiro. Por que será? (C.N.)

12 thoughts on “PCC planejou ação contra Lira e Pacheco e atentado a bomba contra Sérgio Moro

  1. Nós é que somos os alvos de atentados planejados por eles em Brasília.

    A associação entre os podres poderes e as facções criminosas é evidente.

    Eles mesmos fatiaram o Brasil em capitanias e dividiram os estados em regiões de livre exploração e domínio pelas facções.

    Prova maior disso é que o comando é realizado de dentro dos próprios presídios do próprio Estado brasileiro.

  2. “Lembrem que o país com mais armas na população é a Suíça, onde é raro acontecer um crime que não seja financeiro. Por que será? (C.N.)”
    PS. O bunker da máfia khazariana é lá , em Zug, porisso, “o cofre, bem armada e neutra”!

  3. Válido notar que toda ditadura que começa a primeira coisa que faz é campanha contra as armas. Mas só dos não-criminosos, com estes a ditadura não se preocupa, sabe que esta gente não dá ouvidos à ideias imbecis como esta do desarmamento. Não tenho arma em casa, não faz o meu gênero mas defendo com unhas e dentes o direito de ter uma arma, como também defendo o direito do voto facultativo como o da candidatura facultativa também. Imbecil é o cidadão, que em nome da segurança pública delega o seu direito de defesa ás forças policiais, eivadas de maus profissionais.

  4. “…o Brasil está em guerra, mas ainda não percebeu e continua a obrigar as pessoas a não usarem armas, inclusive policiais aposentados e militares reformados….”

    Na mosca….!!

    A violência vai derreter o Páis de Norte a Sul, será inviável “sobreviver” com esses altos índices de violência…..

    Tudo regado o que tem de pior entre os politiqueiros de plantão, desfaçatez, deboche, incompetência, arrogância, prepotência , petulãncia e muita corrupção….

    E um recado para a Ultra-Extrema-Imprensa-Comuna-Maldita e Corrupta.

  5. Por falar em facções, ponto para a PF que conseguiu investigar a origem de armas potentes contrabandeadas ao Brasil, via Paraguai, às facções.

    Segundo o MPF daquele país, muito militares de alta patente (do Paraguai) estariam envolvidos.

    É isso que deve ser feito. Investigar de onde e como essas armas chegam ao Brasil.

  6. Não entendi. Lira e Pacheco são então do CV? Por isso essa vontade do PCC em matá-los?. Fiquem tranquilos, Lirão e Pacheco. É só conversar com Xandão do PCC.

  7. “o setor do PCC responsável por ataques a autoridades e planos de resgate de presos, para Brasília”

    Suspeito que o resgate muitas vezes é feito de forma legal (e imoral), mas com imposição externa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *