Juíza aposentada tem contas bancárias bloqueadas por Alexandre de Moraes

A juíza fugiu do país e pediu asilo políticos aos Estados Unidos

Paulo Briguet
Brasil Sem Medo

A professora e juíza aposentada Ludmila Lins Grilo, que se encontra exilada nos Estados Unidos, anunciou nesta sexta-feira (dia 9), durante uma live nas redes sociais, que todas as suas contas bancárias no Brasil foram bloqueadas por ordem do ministro Alexandre de Moraes. Isso significa que ela não irá receber os seus proventos de aposentadoria.

“Vou dar uma notícia em primeira mão: minhas contas bancárias foram bloqueadas. Então, hoje em dia nem a minha aposentadoria eu tenho mais”, afirmou a juíza durante a live.

FOI APOSENTADA – Em maio de 2023, Ludmila foi aposentada compulsoriamente pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, onde ela atuava como magistrada na Comarca de Unaí. O motivo da aposentadoria foram publicações feitas por Ludmila nas redes sociais. Três meses antes, a juíza fora afastada de seu cargo pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por ter feito críticas a decisões do Supremo Tribunal Federal e por declarar-se amiga do jornalista exilado Allan dos Santos.

A aposentadoria compulsória foi uma prática adotada pela ditadura militar brasileira (1964-1985) para punir professores universitários contrários ao regime. Florestan Fernandes, Paulo Freire, Fernando Henrique Cardoso, Caio Prado Júnior e vários outros docentes foram aposentados pelo regime.

Todos eles, no entanto, conseguiram cátedras em universidades do exterior e conseguiram manter seus meios de sobrevivência.

BLOQUEIO TOTAL – Além de bloquear as contas bancárias de Ludmila, o STF tenta impedir que ela continue seu trabalho de denúncia sobre as aberrações jurídicas da ditadura brasileira, ao proibir as redes sociais de transmitir seus programas. Segundo a juíza, é necessário que as pessoas utilizem a tecnologia do VPN (Rede Privada Virtual) para que tenham acesso ao conteúdo produzido por ela.

“Quem não tem VPN está dentro da intranet do Alexandre de Moraes e está circunscrito a ver apenas o que o Alexandre de Moraes quer que você veja”, afirmou Ludmila, acrescentando que, ademais, a decisão de bloquear as contas bancárias de Ludmila Lins Grilo faz lembrar uma das dez medidas para a implantação do comunismo, expostas por Karl Marx e Friedrich Engels no Manifesto Comunista, em 1848: “Confisco dos bens de exilados e rebeldes”.

Mesmo com todas as dificuldades, a juíza pretende seguir com o seu trabalho de denúncia contra a ditadura brasileira. Em sua live, ela afirmou: “Ainda que eu perca tudo, não quero ser omissa Não me arrependo de nada do que fiz, faria tudo de novo, viria para o exílio, perderia salário, não estou nem aí. Tenho que fazer o que é o certo, que é o que estou fazendo aqui”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Chega a ser estarrecedora essa   reportagem enviada por José Guilherme Schossland. Esses “excessos e exotismos” de Alexandre de Moraes mostram que o ministro está tomado por uma tendência verdadeiramente ditatorial. Na democracia, a oposição tem direito de existir e se manifestar. Cassar a palavra da ex-juíza e agora cassar suas contas bancárias, para tirar-lhe o direito de se alimentar e sobreviver, são atos de uma covardia insana. Acho que o ministro não está bem e deveria ser examinado por uma junta médica. (C.N.)

22 thoughts on “Juíza aposentada tem contas bancárias bloqueadas por Alexandre de Moraes

  1. Faltou dizer que essa juiza levou muitos para a cidade dos pés juntos apoiando aglomeração, ensinando formas de não usar mascara e ser contra a vacina no auge da COVID.

  2. Isso porque é juíza brasileira.

    Juízes brasileiros são multimilionários e integram a lista da Forbes.

    Com capital investido em todos os continentes e suficiente para o exílio luxuoso em qualquer lugar do mundo.

    Imagine os meros mortais?

  3. Nossas congratulações!
    Futura e certamente será indicada e dará O PONTAPÉ INICIAL, que restaurará o STF, levando justiça e honra, como digna Ministra, sabendo desempenhar o papel para o qual será designada!
    Aguardemos….

  4. Será tempo de verdade ou tempo de mentira?
    Escrever ou Reescrever a história nacional? Seria essa a ideia do ministro Alexandre de Moraes? Será que pretende continuar esses inquéritos “sem pé nem cabeça”, que começam e não tem fim, confundindo vítima, acusador e julgador? Quem tem gosto pela insegurança jurídica?
    É o normal de ministro do STF viver para escrever e reescrever a história, ao arrepio de legislação e Constituição Federal, bem longe dos representantes eleitos pela população? Diga-se de passagem, representantes eleitos e, portanto, autorizados a legislar e administrar o país. Repito: autorizados, pelas URNAS, a legislar e administrar o país.

    Todos sabemos que o STF se compõe de 11 personagens. Por que nenhum deles fala nada? Estão todos de acordo com essas ações extremamente graves? Onde foi parar o notável saber jurídico? E a indispensável conduta ilibada?

    E essa agora, meu Deus! Juíza aposentada tem contas bancárias bloqueadas por Alexandre de Moraes. Na matéria: “Em maio de 2023, Ludmila foi aposentada compulsoriamente pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, onde ela atuava como magistrada na Comarca de Unaí. O motivo da aposentadoria foram publicações feitas por Ludmila nas redes sociais. Três meses antes, a juíza fora afastada de seu cargo pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por ter feito críticas a decisões do Supremo Tribunal Federal e por declarar-se amiga do jornalista exilado Allan dos Santos”, escreveu em Brasil Sem Medo, Paulo Briguet.

  5. Faltou dizer que ela foi aposentada compulsoriamente porque não ia trabalhar…… Faltou dizer também que apoiou o golpe tentado pelos milicianos que tavam no poder até 2022. Faltou dizer que ela foi contra as medidas de enfrentamento da COVID. O fascismo fascinou ela e a levou a essa derrocada!!!

  6. Vem cá!

    Tá todo mundo estarrecido com o Ministro Moraes por punir uma insufladora descarada do Golpe.
    O que não falta nessa mulher são publicações fascistas.

    NEGACIONISTA AO EXTREMO!

    Na verdade os bolsonaristas estão incumbidos em defender a qualquer custo qualquer golpista.
    Sabem porque?
    Porque ainda sonham com a Ditadura.

    É por isso que tem de ser punidos exemplarmente, da mesma forma que nós seríamos punidos, com a “lei deles”, sem qualquer direito de defesa.

    Voltando a juíza, ninguém reclama dela estar aposentada tão nova?
    Até a decisão do Moraes bloquear as contas dela, a figura estava quietinha, gastando o nosso dinheiro e morando nos EUA.
    Bastou o Ministro deixá-la sem proventos, que subiu nas tamancas.

    Nenhum representante “dos bons costumes”, pra gritar contra este descalabro com o erário público?

    Voltando a juíza, ninguém reclama dela estar aposentada com está idade(?)

    Acabou o milho, acabou a pipoca!

    Ou fica por lá e vai trabalhar ou volta pra cá e encara de frente a parada.

    Por essas e outras, temos o judiciário mais caro do mundo!
    Pior, totalmente improdutivo, defasado e descolado da realidade do povo brasileiro.

    Que maravilha de punição!
    Foi aposentada com… bem, fui procurar a idade dela na web e pasmem, não achei essa informação em nenhum lugar.
    Não tem nem o ano de nascimento.

    Deixo a pergunta para os universitários:
    Quantos anos tem a juíza Ludmila Lins Grilo?

    Outra pergunta, é justo uma aposentadoria tão precoce da verborrágica juíza?

    Porque não foi exonerada sem proventos, já que é público e notório que ela estava extrapolando e conspirando contra a democracia?

    Ludmila Lins Grilo não vai recorrer de aposentadoria: “nesse momento histórico, não acredito na Justiça”
    Fonte: Gazeta do Povo

    rsrs… melhor não acreditar Sra. Ludmila, o bom mesmo, é se aposentar com trinta conto por mês.

    A VIDA É BELA!

    José Luis

  7. Sempre fui contrário, a todo juiz, que comete ilícitos no exercício da magistratura, ser punido com a aposentadoria compulsória. Isso é um escárnio e um privilégio inaceitável.
    No mínimo, o tempo exercido, deveria cobrar para somar com o trabalho exercido na iniciativa privada, após o afastamento da função judicial, respeitado o direito de defesa e o contraditório.

    Nesse sentido, mais uma vez, concordo com a decisão do Ministro Alexandre de Morais, em relação a essa juíza fujona para os Estados Unidos, gozando das doces delícias do Tio Sam.

    Respeitam, aqui na TI, o direito de opinião. É um dogma, o signo da liberdade, lema do editor Carlos Newton, portanto, em respeito a opinião alheia, creio, que não cabe os xingamentos, que alguns fazem aos comentaristas, que opinam em direção contrária, as suas crenças e convicções.

    Alerto, a esses cidadãos, que comigo não cola. Ignoro solenemente os ataques. Não vou entrar nessa pilha.

    Sinto muito, incomodar os senhores.

  8. CN, discordo de você nesse ponto. O psicopata do P$TF não precisa de ser analisado por uma junta médica. Ele tem que ser impichado para então ser julgado pela justiça. Mas quem no senado tem culhão pra isso?

    Veja bem, o psicopata do P$TF quer aprisionar a juíza por expor as suas ilegalidades e sua notória falta de saber jurídico. Mas peraí! o psicopata não disse que queriam prendê-lo e enforca-lo na praça dos três poderes? Quem o faria? Já prendeu esses terroristas? Não? O candidato a presidente do P$TF é um fanfarrão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *