um erro pensar que a pandemia est dominada; continue a usar as mscaras

Imagem

Charge do Kleber (Estado de Minas)

Vicente Limongi Netto

Mesmo imunizada com duas doses de vacinas, a apresentadora Ana Maria Braga pegou covid. Vale o alerta do diretor-geral do Hospital Sirio-Libans em Braslia, mdico Gustavo Fernandes: #NoPareDeSeCuidar. Daqui a onze dias, a Gr-Bretanha para de usar mscara e libera geral. Ser essa a poltica certa? Tenho minhas dvidas, especialmente devido ao surgimento das variantes.

Ampliao do auxlio emergencial por mais trs meses ajuda, mas como cobertor curto. Basta ver o preo do botijo de gs, perto de 93 reais. Atento ao drama, o governador Ibaneis Rocha criar o vale-gs. Sero destinados 24 milhes de reais para atender 41 mil famlias.

GRATUIDADE NO ENEM – Excelente iniciativa da Frente Parlamentar Mista da Educao, lanando campanha para beneficiar estudantes carentes que perderam o direito iseno da taxa de inscriodo Enem 2021.

Diante do crescente inferno astral do cl Bolsonaro, com denncias e acusaes pipocando de todos os lados,torna-se cada diamais difcila Rede Brasil lanar o telejornal s com notcias boas. Sonho do Palcio do Planalto, que no conhece democracia nem contraditrio.

APOSENTADORIA – Bela e justa homenagem do Correio Braziliense (7/7) ao ministro Marco Aurlio Mello, que no prximo dia 12 completa 75 anos de idade e se aposenta do Supremo Tribunal Federal.

Recebeu uma funo que durante 31 anos exerceu com dignidade, coragem, iseno, competncia e patriotismo. Respeitando a Constituio e com profundo respeito as liberdades individuais.

Jamais acompanhou a mar. No finalzinho, votou contra a anulao das condenaes de Lula e contra a suspeio do juiz Sergio Moro. Respeitou a deciso da maioria, mas fez questo de apontar a inconstitucionalidade. E Luiz Fux seguiu os votos dele.

BERNARDO CABRAL O ex-senador amazonense precisou ser operado. Colocou pontes de safenas. Permanece hospitalizado mas melhorando bem. Deus no comando. Amigos ligam para Zuleide em busca de notcias. Todos orando pelo restabelecimento do respeitado homem pblico.

Recebo dezenas de mensagens desejando que o ex-ministro da Justia e ex-presidente da OAB Nacional volte logo para casa. Entre elas, a do coronel Digenes Dantas, que simboliza esplendidamente o respeito e a admirao que brasileiros de todas os cantos e origens dedicam ao ex-relator-geral da Constituinte e ex-senador. Na mensagem, o ento major do Exrcito, Diogenes Dantas, membro da segurana pessoal do presidente Collor, lembra passagens daquela poca, quando Cabral era ministro da Justia:

O senador Bernardo Cabral dez. Papai do cu vai deix-lo conosco mais tempo. Grande cabea. Ele show. Me lembro, na segurana presidencial, em evento externo com multido, ele falava para mim: Vai, major, passa a minha frente, agora com voc. Sempre tratou com respeito profissional e fidalguia os agentes de segurana pessoal. Rogo para o pronto restabelecimento e sua sade. O que se faz aqui na Terra ecoa no universo. Forte abrao. Digenes Dantas.

Governador gacho se declarar homossexual um avano que merece ser louvado

O governador do RS, Eduardo Leite Foto: Gustavo Mansur / Palcio Piratini / 14-05-2020

Eduardo Leite amorteceu as crticas: “O amor vai vencer o dio

Vicente Limongi Netto

Notcias do cotidianocomovem, preocupam, amedrontam, desapontam, esclarecem e estimulam. A declarao do governador gacho Eduardo Leite, no programa do reprter Pedro Bial, saudvel, elogivel e esperanoso combustvel para acabar com a enfadonha polarizao entre Bolsonaro e Lula. O jovem Eduardo Leite vai balanar e renovar as estruturas do jogo presidencial.

Sobre o assunto, a jornalistaAna Dubeux (Correio Braziliense- 4/7), afirmou: “S o fato de Eduardo Leite se declarar homossexual j um passo importante, tanto quanto necessrio”.

DISSE RANDOLFE – Tambmmanifestou-se o senador Randolfe Rodrigue (Rede-AP), no Correio de 6/7: “Sado a coragem do governador Eduardo Leite, que seria uma tima opo poltica, uma alternativa no pleito do ano que vem”.

O prprio Eduardo Leite salientou para o Correio do dia 5: “J tive muito espao para mostrar minha capacidade poltica, estou tranquilo em relao ao que posso fazer para o pas”.

Quem destoou foi o presidente da Repblica, que fez grosseiras ofensas homofbicas ao governador. Alis, Bolsonaro se comporta como se no existissem homossexuais em sua famlia. Como dizia aquele personagem de J Soares, tem pai que cego. H gays em todas as famlias do planeta. Lembram daquele tio solteiro? E aquela prima esquisitona?

SAUDADE DOS CRAQUES– Na poca iluminada de craques como Gerson, Pel, Rivelino, Clodoaldo, Garrincha e Nilton Santos, era moleza golear o Paraguai, Peru, Chile, Equador e Uruguai. Agora, na era Tite, Neymar e companhia, quando o Brasil vence adversrios por 1 x 0, comemora-se o resultado como goleada.

Jogos empolgantesda Euro Copa, com selees fortes, rpidas, envolventes e bem treinadas, indicam, a meu ver, que a conquista do hexa para o Brasil est mais longe do que nunca. O Brasil tem deficinciasem todos os setores. No evoluiu.

SAUDADE DOS COMENTARISTAS – Analistas de O Globo no tm categoria nem expresso para comentar jogo nem no Maracan vazio. Time de embusteiros arrogantes, fantasiados de sabides.

Lamentvel e inacreditvelque a valorosa seo dos leitores tenha virado instrumentodescarado para bolorentas cartas encomendadas de leitores elogiando “anlises” e “artigos” dos notveis sbios de araque. O contraditrio passa longe do manual do atual O Globo. Cancelarei minha assinatura.

Lamentar a morte de Lzaro Barbosa desconhecer a realidade do mundo em que vivemos

Documento policial registra que Lzaro Barbosa foi morto por Vicente Limongi Netto

O mundo cruel. A realidade assusta. Costuma pregar peas. Sem trgua. No tenho lugar no corao nem na alma para nutrir pena e considerao a assassinos e estupradores. Graas a Deus a avassaladora pandemia no amoleceu meus neurnios nem abalou meu equilbrio e iseno.

A hora de lutar por solues, leis e mecanismos jurdicos que tragam tranquilidade para a populao. Caso contrrio, seres desprezveis como Lazaro Barbosa continuaro soltos e impunes, infernizando a vida de famlias e homens de bem.

LZARO BARBOSA – Nessa linha, acabei lendo, perplexo, no Correio Braziliense e alhures, incisivas opinies lamentando a morte de Lzaro Barbosa. Respeito, mas discordo enfaticamente. A meu ver, ao contrrio daqueles que no admitem a forma como chegou ao fim a vida imunda e covarde de Lzaro, julgo perfeitamente natural o desfecho da caada ao monstro que alguns insistem em chamar de ser humano.

Pimenta nos olhos dos outros colrio e refresco. Aplaudo os policiais que finalmente deram um basta no assassino. A alegria que mostraram foi compreensiva. Pelo teor de algumas opinies contrrias, seria melhor que os policiais chorassem e respondessem com flores os tiros disparados por Lazaro.

OPINIO ACERTADA – Ilustro meu raciocnio com a opinio do Diretor do Instituto Luiz Gama, ps-doutor pela Universidade de Coimbra em Democracia e Direitos Humanos, Camilo Onoda Caldas (Correio Braziliense – Eixo Capital- 30/6), sobre Lazaro Barbosa, indagado se seria melhor prend-lo com vida:

“Se ele resistiu priso e atacou os policiais, o confronto pode ter sido necessrio e a morte, portanto, uma consequncia”, salientou o cientista poltico.

Espero que a lucidez vena a hipocrisia e a demagogia, evitando que partidos polticos e entidades no apelem ao Vaticano para canonizar Lzaro Barbosa.

MAIS ENERGIA – O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz, precisa ser menos benevolente e mais enrgico na conduo dos trabalhos. Logo e urgente. Sob pena de enfraquecer e desmoralizar a CPI e a si prprio. Aziz precisa manter o foco principal da comisso. Investigar e apurar a m gesto do governo na aquisio de vacinas. Deve cortar a palavra de quem deseja tumultuar e atrasar os trabalhos da CPI.

Graves denncias de irregularidades e corrupes j foram checadas e constatadas pelos senadores, fazendo com que a maioria da populao continue acreditando nos resultados finais da CPI.

Nesse sentido, algum precisa informar a Omar Aziz as caractersticas de aes e atitudes do ex-presidente do Senado, o baiano Antnio Carlos Magalhes.

ORDEM NA CASA – Com o famoso ACM, insolentes e demagogos no se criavam nas sesses plenrias, nas comisses tcnicas ou comisses de inqurito, como ocorre hoje com a bolorenta, desprezvel e bazofeira tropa sem choque de Bolsonaro, na CPI da Covid. So serviais sem compostura.

Com ACM no comando, ningum no atropelava a fala do senador que estivesse falando. Em plenrio ou nas comisses tcnicas,o ex-governador e ex-ministro no permitia o ingresso de ex-parlamentares, deputados ou senadores que no fossem membros das comisses.

Muito menos discursar para dizer asneiras, como o arrogante senador rei das rachadinhas, Flvio Bolsonaro. Que ainda tem o descaramento de levar deputados serviais para o plenrio da CPI. Acorda, Omar.

Se no mudar seu comportamento, Bolsonaro vai sofrer uma derrota humilhante nas eleies

Bolsonaro no pode continuar desprezando a mscara

Vicente Limongi Netto

Leitores e analistas do cotidiano e da poltica no tm como fugir dos temas com denncias de corrupo, envolvendo a compra da vacina indiana, e de omisso, devido falta de milhes delas, com o Brasilcaminhando para a dolorosa marca de mais de 520 mil mortos.

Enquanto a mais recente pesquisa eleitoral aponte Lulacom possibilidade de vencer o pleito no primeiro turno, Bolsonaro prossegue no caminho equivocado de sempre, com o rosrio de idiotices, novamente insultando jornalistas, depois mandando uma criana tirar a mscara do rosto e tambm insistindo em xingar membros da CPI da Covid, especialmente o relator Renan Calheiros, indicando que pouco aprendeu nos 28 anos que passou no Congresso, como deputado federal.

TROPA SEM CHOQUE – Em meio crise poltico-institucional, temos fome, misria e desemprego crescendo, enquanto na CPI se desenrola o teatrinho da desprezvel tropa sem choque dos fantoches do governo. Duro saber qual deles o mais cretino e enfadonho.

Ao mesmo tempo, o ministro servial que tem sobrenome de chuveiro, com ar de franciscano com dengue, tentou melanclica e grotescamente, desviar o foco das acusaes contra o governo, ameaando processar os irmos Miranda, autores da grave denncia sobre a Covaxin.

Portanto, no ser pela faltade deplorveis e patticas atitudes, aese acontecimentos, envolvendo pndegos e canastres, que os brasileiros morrero de tdio. E recordoo que escrevi, nas redes sociais, em 27 de janeiro: at as pedras das ruas sabem que a casaest caindo para Bolsonaro. O fim da linha chegando aos redutos do mito de barro.

DERROTA HUMILHANTE – Se no mudar ser comportamento, Bolsonaro vai sofrer uma derrota humilhante nas eleies, que eliminar qualquer possibilidade de fraude. Se eu tivesse acesso a ele, diria:

Presidente, respeite os outros, se quiser ser respeitado. Aprenda a conviver com o contraditrio. Dobre a lngua. Em menos de uma semana o senhor insultou duas reprteres. Inacreditvel. Tudo indica que perdeu o rumo do bom senso. Tenha bons modos. Evite ser grosseiro e mal educado. Cansamos de suas diatribes. Seus rompantes de histerismo e intolerncia no lustram o cargo de chefe da nao.Deixe de ser destemperado.

Diria tambm que ele precisa aceitar a verdade da cincia. Use a mscara. No deboche das normas sanitrias. Mais de 520 mil brasileiros mortos pela covid, e o senhor dando uma de super-homem de barro. Sou imorrvel1. Maisuma colossal idiotice da sua vasta coleo de asneiras.

MAIS RESPEITO - Pediria tambm que no trate jornalistas como se fossem seus vassalos ou inimigos. Jornalista no tem culpa se vossa excelncia no gosta de ouvir perguntas duras e pertinentes. O reprter pergunta. O entrevistado responde. Simples assim. Seria bom que seus alquimistas palacianos desenhassem.Seus capachos engravatados e estrelados alegam que o senhor assim mesmo. No vai mudar.Mas os brasileiros no podem nem merecem servir de descarga para suas diatribes.

Por fim, eu diria que no busque bodes expiatrios. Ofensa, presidente, arma dos fracos. Sinal de falta de argumento. Pare de pisar nas pessoas.No culpe os outros pelos seus interminveis faniquitos.Jornalista no pode servir de bode expiatrio de erros ou problemas de governantes.Troque os remdios. Tudo indica que os que usa esto vencidos. Tm efeito ao contrrio. E no esquea: nunca tarde para mudar.

Bolsonaro desmoraliza a dignidade que todo presidente da Repblica precisa ter

bolsonaro-armas

Bolsonaro se comporta como se estivesse num botequim

Vicente Limongi Netto

Para repudiar as costumeiras sandices, grosserias e bravatas de Bolsonaro, no preciso acrescentar nada. Nem perder o precioso tempo. Basta recordar meu artigo aqui na Tribuna da Internet, do dia 8 de maio de 2020, com o ttulo “Agressivo e irresponsvel, Bolsonaro envergonha os brasileiros aos olhos do mundo”. O mito de meia pataca destemperado. Insiste em zombar da cincia e dos mdicos que recomendam usar mscara.

Faz tudo errado. A mscara sofre nas mos dele. Coloca. Coa o rosto. Pe no queixo. Tira fotos. Abraa apoiadores. Tudo leva a crer que deseja preservar eleies e no vidas.

COM RAIVA DO MUNDO – Bolsonaro xinga a tudo e a todos. Acorda com raiva do mundo, chutando o p da cama. Ansioso para sair do carro e disparar o monte de tolices dirias para apoiadores e jornalistas na entrada do Alvorada

Grosseiro, vocifera e ameaa quem tem a audcia de discordar dele. Manda o reprter calar a boca. Mete os ps pelas mos. Enfiou na cabea que o dono do mundo. Inclusive das Foras Armadas e da Constituio. Inacreditvel.

Notveis e vigilantes reprteres polticos, jovens e experientes, murmuram e exclamam, entre chorosos e incrdulos: “Como pode sermos furados por um veterano reprter aposentado?”.

TRIBUNA E GLOBO – Meu artigo do dia 18 de maio, tambm aqui na intrpida Tribuna, teve ttulo magistral do editor Carlos Newton, que sintetizava o texto completo: “No adianta tentar esconder: a CPI preliminar da disputa entre Bolsonaro e Lula”. Este mesmo artigo foi publicado em O Globo, na mesma data, sob o ttulo Preliminar para 2022.

No texto, afirmei: No tem para mais ningum. No brigo com fatos. Pelos depoentes j ouvidos e diante das investigaes que vo se aprofundando, o atual placar do jogo amplamente favorvel a Lula. Salientei que os desatinos de Bolsonaro crescem, na medida que Lula amplia vantagem, segundo pesquisa do Datafolha.

Nessa linha, transcrevo nota da “Veja”, de 23 de junho, na coluna Radar, “revelando” (morro de rir) com o ttulo “Aposta na diviso”: “ definitivo. Jair Bolsonaro e seu staff tratam Lula como o adversrio preferido na luta pela reeleio. Para o governo, a polarizao com o petista o meio mais seguro de o presidente resgatar os votos dos arrependidos, hoje assustados com suas loucuras“.

RESGATANDO HAVELANGE – O colunista Lauro Jardim precisa ter mais sensatez antes de fazer gracejos e insultar Joo Havelange (O Globo- 20/6), ao informar sobre o filmeco de um parlapato que atende pela alcunha de Belisrio Franca.

Com tiradas desprezveis contra o atual e ex-presidentes da CBF, Lauro Jardim esquece que foram homens como Havelange que levaram o Brasil glria no futebol e em outros esportes, desde a poca da antiga Confederao Brasileira de Desportos.

106 ANOS – Dia 8 de maio Havelange completaria 106 anos de idade. Tinha uma jamais igualada folha de servios dedicada ao futebol brasileiro e mundial.

Transformou a Fifa numa potncia, com mais pases-membros do que a ONU. Uniu povos e naes pelo futebol. Como presidente da ento CBD, o Brasil conquistou trs ttulos mundiais de futebol.

Foi homenageado pelo Globo em 2010, com o prmio “Personalidades que fazem a diferena”. Mudou o jornal ou mudou o jornalismo? Pelo jeito, nas bandas do Globo, ambas as coisas.

Enfim, Brasil imita Israel e inicia as negociaes para possibilitar uma candidatura de terceira via

Charge O TEMPO 29-04-2021

Charge do Duke (O Tempo)

Vicente Limongi Netto

Forte coincidncia ou boa anlise. Fico contente. Sem cabotinismo. So 50 anos de vivncia poltica. O fato que meu texto na Tribuna da Internet, no dia 15, despertou cabeas pensantes, colunistas, pauteiros, analistas e polticos. O rosrio de suites continua. Os arquivos no mentem.

Clamei para que os ventos democrticos de Israel cheguem ao Brasil para enfrentar a forte polarizao entre Bolsonaro e Lula. Lembrando que em Israel a coalizo de oito partidos oposicionistas acabou com o que parecia impossvel, a era Netanyahu.

FALTA DE GRANDEZA – Nessa linha, ponderei que o tempo passa e caciques de partidos contrrios a Lula e Bolsonaro parecem distantes da sabedoria poltica. Salientei a falta de grandeza e desprendimento para chegar-se a um candidato que sensibilize e atraia o eleitorado na disputa com Lula e Bolsonaro. Hora da ona beber gua. Do mato a cobra e mostro o pau: Merval Pereira, O Globo, dia 17:

“Procura-se uma alternativa entre Lula e Bolsonaro”. Tambm no Globo, dia 18, Bernardo Mello Franco, “A agonia da terceira via, com fuga de candidatos de direita (ou centro) com Luciano Huck”. Alerta do deputado Rodrigo Maia: “Ciro e Dria precisam se acertar”. Luiz Carlos Azedo, Correio de 18/6: “Os partidos que se articulam para ter uma candidatura nica DEM, Podemos, PSDB, PV, Solidariedade, Cidadania e MPB discutem essa alternativa, mas no descartam a ampliao do grupo, com a incorporao do PSD, do PDT, da Rede e do PSB, se o desejarem”.

PARA DEFENDER A AMAZNIA – Sou candidato para defender a Amaznia, diz Arthur Virglio Neto sobre as prvias presidenciais no PSDB. Chego a essa disputa com 32 anos de servios prestados ao PSDB e com a bandeira da defesa da Amaznia. J est mais do que na hora do pas enxergar a Amaznia da forma que deve ser vista, afirmou o presidente do diretrio regional do PSDB no Amazonas e candidato s prvias presidenciais que sero realizadas em novembro deste ano.

Eu tenho a honra de ser um dos quatro nomes a disputar essas prvias e todos os candidatos tm bagagem para essa disputa, continuou. O PSDB tem quadros, sempre foi um partido de quadros fortes.

Arthur Virglio destacou que vem lutando para a realizao das prvias desde 2018, porque esse o caminho para a unio do PSDB, partindo da democracia interna para consolidar o Partido da Social Democracia como alternativa real de poder, diante das opes extremas que hoje existem.

UM LUGAR DE HONRA – O PSDB governou por oito anos e, quando no ganhou as eleies, foi o segundo, sendo escolhido pelo pas para ser o fiscal do governo eleito. Muita gente no entende isso, mas um lugar de honra, de respeito, afirmou Arthur Virgilio, que est convencido de que o PSDB, independentemente do resultado das prvias, sair coeso para o pleito de 2022.

Eu mudaria a poltica internacional em relao Amaznia em 180 graus. O Brasil hoje um pas completamente desprestigiado, o que pode se tornar uma ameaa real. Vou apresentar um projeto de governo que vai contemplar bastante essa anlise. Temos um ministro do meio ambiente que o avesso do bom senso, que o avesso da boa-f, eu diria que ele um inimigo da Amaznia, dos ndios e do uso sustentvel das nossas riquezas, denunciou o ex-prefeito de Manaus.

TROPA SEM CHOQUE – A destrambelhada, atabalhoada e desesperada tropa sem choque de Bolsonaro, versada em shows apelativos de histeria, falta de educao e subservincia ao governo, deu outro espetculo deprimente, ridculo e pattico, durante o depoimento do ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

O script de papelo do roteiro de destemperos dos serviais do chefe da nao foi comandado pelo filho 01, do mito de barro, senador Flvio Bolsonaro, rei das rachadinhas. O senador (v l, v l) carioca, que no titular nem suplente da comisso, usou as habituais armas de xingamentos e ameaas quando o presidente acuado com argumentos, verdades e fatos.

O insolente ainda levou deputados serviais do pai dele. Wilson Witzel no se intimidou com os arreganhos do filho 01 do mito de plstico, chamando-o de “mimado e sem educao”.

CAOS SANITRIO – Witzel repudiou o “linchamento moral” ao qual foi submetido e acusou Bolsonaro de ser o “nico responsvel pelo caos sanitrio que abala o pas, j perto de 500 mil mortos”.

Afirmou que o “Brasil no tem rumo”, transformado por Bolsonaro numa “repblica chavista ao contrrio”. O depoente manifestou esperanas que ser reconduzido pelo STF, ao cargo do qual foi apeado de “forma inaceitvel”.

Santos Cruz desponta como exemplo de militar dedicado a servir ao Brasil, acima de tudo e de todos

Santos Cruz, sempre inflexvel na defesa do interesse pblico

Vicente Limongi Netto

Em memorvel artigo no Estado do dia 13, intitulado “Por que envolver o Exrcito em crise poltica?”, o general Santos Cruz foi verdadeiro e implacvel com o ex-amigo Bolsonaro. Segundo o altivo, firme e isento oficial, “o Brasil no merece uma polarizao entre quem j teve oportunidade de governar e se perdeu em demagogia e escndalos de corrupo e quem mostra diariamente que tem como objetivo um projeto de poder semelhante, apenas com sinal trocado”.

O artigo de Santos Cruz comea demolidor e irretocvel: “A resposta simples: o sonho chavista de poder do presidente que tenta usar o Exrcito em seu projeto pessoal. O Brasil no a terra do dolo inspirador do presidente e no vai se transformar em algo similar. Aqui, “EB” quer dizer Exrcito Brasileiro e no “Exrcito Bolsonarista”.

EXEMPLO DE COALIZO – Ventos democrticos e sensatos das eleies israelenses seriam bem-vindos ao Brasil, onde imensa a polarizao do pleito presidencial, entre Bolsonaro e Lula. Em Israel, a coalizo de oito partidos, unindo conservadores e esquerdistas, foi fundamental para derrotar e acabar com o que parecia impossvel a era Netanyahu.

Nessa linha, no horizonte brasileiro, Bolsonaro e Lula trocam farpas e passeiam na rinha sem dar a mnima para outros possveis candidatos. Do a entender que, alm deles, no existem mais adversrios. O tempo passa e caciques de partidos contrrios a Lula e Bolsonaro parecem distantes da sabedoria poltica demonstrada em Israel. Preferem seguir enfadonhos devaneios pessoais.

Amontoam especulaes, conversas inconclusivas e interminveis e fartas declaraes dbias. Perdem tempo em costuras que passam longe dos interesses coletivos. So polticos rodados e experientes eternamente fascinados pelo poder. Sem grandeza e desprendimento para trabalhar e exortar unio em torno de um candidato que sensibilize e atraia o eleitorado, na disputa contra Lula e Bolsonaro.

HIPOCRISIA – O tcnico Tite entrou na onda hipcrita e servil dos jogadores da seleo, criticando o presidente da CBF, Rogrio Caboclo, acusado de assdio a uma funcionria da entidade. Atleta de futebol, sobretudo os famosos, no servem de exemplo, pelo contrrio, para deitar falao, nem tm autoridade para jogar pedras em ningum.

Reafirmo: no se pode condenar antes de julgar. Atire a primeira pedra quem nunca errou ou escorregou feio na maionese. Se Rogrio Caboclo errou, que pague diante dos rigores da lei. Se for inocentado ou punido sem maiores consequncias, que volte ao cargo. No qual vem trabalhando pelo futebol pentacampeo, apoiando as categorias femininas e masculinas.

Pregoeiros do caos adoram se fantasiar de paladinos da tica e posar de carrascos. Mas no tm moral nem autoridade para impor normas de conduta a ningum.

JORNALISTAS NA COVID – Boa sacada, a divulgao de mensagens e udios de jornalistas do grupo Globo, mostrando sua dedicao ao trabalho contra a pandemia, suas reaes e dificuldades. Enfatizando laos familiares e amizades.

Longe dos computadores e cmeras, jornalista ser humano igual aos outros. De carne e osso. Briga, ama, chora, protesta, rala, xinga. Tem boletos para pagar e faz parte ativa e importantssima da trincheira humana empenhada em resistir aos males da pandemia.

Ministro Gueiroga se equilibra na corda bamba e Bolsonaro est doido para derrub-lo

Charge do Clayton (O Povo/CE)

Vicente Limongi Netto

O ministro da Sade, Marcelo Queiroga, est no dilema da pea de Oduvaldo Viana Filho e Ferreira Gullar: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Caso endosse a maluquice de Bolsonaro contra o uso da mscara pelos vacinados ou curados, est fadado a se desmoralizar e se tornar irmo siams do ex-ministro Eduardo Pazuello, o servial fardado.

Como tem de discordar do atabalhoado presidente, o “tal Queiroga” cai em desgraa e deve ser o quarto da lista. Tem que se equilibrar na corda bamba, sem rede por baixo

500 MIL MORTOS – Triste cenrio da quadra brasileira. Estamos merc de atitudes desvairadas e irresponsveis de um chefe da nao que parece torcer para o Brasil alcanar, ainda em junho, o patamar desesperador de 500 mil mortos pela covid-19.

Enquanto isso, na CPI, o senador Marcos Rogrio (DEM-RO), alm de esmerado subserviente ao governo Bolsonaro, revela outro torpe desvio de conduta a falta de educao.

Desesperado, sem argumentos, foi grosseiro e rude com o senador e mdico baiano, Otto Alencar, o integrante mais idoso da CPI da covid-19. Mas Alencar na se intimidou e respondeu no tom que a estupidez do transloucado Rogrio merecia.

MOSTRANDO SERVIO – Arrogante e pretensioso, sempre na nsia de mostrar repugnantes servios ao Palcio do Planalto, o enfadonho e empolado senador tem o pattico costume de desapreciar as decises do presidente Omar Aziz, do vice-presidente Randolfe Rodrigues e do relator Renan Calheiros.

Quando mostra-se acuado diante das sandices que defende e no tem mais argumentos, Marcos Rogrio tumultua os trabalhos da comisso, com provocaes, intromisses e prfidas ironias, tentando agradar Bolsonaro.

Outro que deu vexame na CPI foi Angelo Denicoli, militar demitido segunda-feira do cargo de diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliao do SUS. Por incrvel que parea, no mesmo dia foi contratado para o gabinete da presidncia da Petrobras, como gerente-executivo.
INFORMAO FALSA – Segundo o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, o bajulador Delicoli notabilizou-se no ministiro da Sade por ter publicado em sua conta no Instagram uma informao falsa sobre a hidroxicloroquina, anunciando que uma organizao dos EUA aprovara seu uso para tratamento de todos os casos de Covid. Publicou ainda em seu perfil crticas OMS.
Agora , aparece nomeado para a Petrobras no mesmo dia em que foi demitido no Ministrio da Sade, numa velocidade inacreditvel, foi a nomeao mais rpida da Histria Universal.
A Petrobras tem Cdigo de tica. Ser que vai examinar quem esse novo gerente-executivo? A nomeao-relmpago mancha a marca Petrobras que vinha se recuperando de repetidos escndalos.

Na CPI, a atuao mais ridcula de Eduardo Giro, que pensa ser enviado de Deus

Giro no quer apurar nada e fica tumultuando a CPI

Vicente Limongi Netto

Na CPI da Covid, o senador Eduardo Giro (Podemos-CE) est se comportando como um franciscano de plstico, enfiou na cabea que enviado de Deus. Desagradvel e empolada figura, usa em vo o nome de Alan Kardec para exibir toda sua colossal subservincia ao Palcio do Planalto.

Fantasiado de homem puro para salvar os pecadores do planeta e da CPI da Covid, dorme com sandlias da blasfmia. O que seria dos bons espritos se Giro no existisse? O “paz e bem” da boca para fora do loroteiro Giro ecoa como lies de cinismo e oportunismo, na comisso. #xgiro.

AMEAAS E OFENSAS – O senador Renan Calheiros est recebendo insultos e ameaas pelo WhastsApp e redes sociais. a ttica imunda e covarde dos fantoches governistas tentando intimidar o relator da CPI da Covid. Calheiros reage com bom humor e avisa que no vai ficar “batendo boca com robozinho”.

Essa robotizao uma praga de abjetos e subservientes rastejando para alquimistas palacianos. o desespero batendo na porta do governo. As investigaes apuradas e checadas pela CPI anunciam nuvens negras e fortes tempestades nos telhados do Palcio do Planalto.

Os alicerces e paredes da bela obra de Oscar Niemeyer vo tremer. O ltimo a fugir do terremoto que chame Bolsonaro e o servial fardado, Eduardo Pazuello para apagar as luzes da empulhao, do deboche e insensibilidade diante das mais de 470 mil mortes, vtimas da pandemia.

EXISTEM LIMITES – Afirmaes firmes, republicanas e serenas do presidente da Cmara, deputado Arthur Lira, no Correio Braziliense de 03/06, a propsito da reforma administrativa, advertindo que precisam ser fixados e salientados limites para engravatados oportunistas, palanqueiros e demagogos:

“Esta presidncia no admitir, em hiptese alguma, nenhum ataque aos servidores atuais, ao direito adquirido, a tudo que est posto hoje na legislao”, disse Lira, explicando que a Constituio clara a respeito.

Nomeao de Pazuello representa uma afronta opinio pblica e tambm s Foras Armadas

O general Pazuello vai cuidar dos Estudos Estratgicos

Vicente Limongi Netto

Mais duas insanidades ultrajantes e irresponsveis do irrecupervel Bolsonaro. Irresponsavelmente e sem fazer prvias avaliaes, autorizou a realizao da Copa Amrica no Brasil. Ainda no-satisfeito, nomeou o subserviente general Eduardo Pazuello para exercer funes relevantes no governo, como responsvel pela Secretaria dos Estudos Estratgicos do governo.

Na verdade, foi uma afronta opinio pblica e s Foras Armadas. Em respeito s normas disciplinares do Exrcito, o ex-ministro da Sade deveria ser exemplarmente punido por participar de ato poltico com Bolsonaro.

CAXIAS DE LUTO – Ao agir assim, o mito de barro tambm expe ao ridculo as valorosas Foras Armadas. “O patrono do Exrcito, Duque de Caxias, est de luto”, lamentou o ex-presidente do Superior Tribunal Militar (STM), tenente-brigadeiro Srgio Xavier Ferolla, em entrevista ao Estado.

As duas decises do debochado chefe da nao humilham o bom senso e agridem familiares dos j perto de 500 mil brasileiros mortos pela covid. #ansiadevmito.

UM LIVRO NOTVEL – O novo livro do professor Carlos Augusto Sanches, mestre e doutor em Educao, “Epopeia Italiana em Manaus”, essencial e importante para historiadores e pblico em geral desejosos em conhecer pormenores marcantes da colnia italiana no Amazonas e no Brasil. Recomenda-se que o livro de Sanches passe a ser encontrado, estudado e pesquisado nas bibliotecas pblicas e particulares.

Por rigorosa exigncia histrica e sentimental. Sanches j merecia ser imortalizado pela Academia Amazonense de Letras. Segundo o autor da magnfica obra, “A imigrao italiana em Manaus tem sua essncia nos movimentos migratrios condicionados a expanso do capitalismo europeu que direcionou para o continente americano e especificamente Manaus, foco do estudo”.

ERA DOS PIONEIROS – Relata Carlos Sanches que as famlias italianas se estabeleceram nas atividades mercantis e profissionais na Amaznia. O prprio Sanches da famlia Conte.

“Em Manaus, revela Sanches, as famlias Conte, Russo, Calderaro, Aronne, Celani, Biondi, Pelosi, Limongi, Cardelli, Desideri e Faraco”. Em Belm, prossegue o escritor, se estabeleceram as famlias Grisolia, Conte, Falesi, Verbicaro, Mileo, Calderaro, Florenzano, Vallinoto, Megale, Priante, Savino, Cerbino, Libonati e Tancredi”.

Na construo da sociedade amaznica tambm contriburam muitos imigrantes com seu trabalho annimo de engraxates, jornaleiros, verdureiros, carregadores, estivadores, ferreiros e vendedores ambulantes.

DE PORTA EM PORTA – Uns ofereciam seus servios de porta em porta como consertos de sombrinhas e utenslios domsticos; outros tinham banca de engraxate prximo do terminal de trem ou no comrcio, onde tambm consertavam sapatos”, prossegue Carlos Sanches:

“Na Amaznia predominaram os imigrantes vindos da Itlia Meridional, de regies como Calbria, Basilicata e Campnia. Ocorreu tambm emigrao da Itlia Setentrional, das provncias de Vneto, Lombardia, Ligria, Emilia Romagna, da Itlia Central e das provncias de Toscana e Lazio”.

Na pgina 147, Sanches lista famlias calabresas, lucanas e campanas, que chegaram at o incio do sculo XX ao Par e ao Amazonas, segundo regio de origem e cidade de destino. Meu xar e av paterno aparece na lista como o nmero 50: Limongi Basilacata Potenza Maratea Manaus.

EMOO DO NETO – Tenho orgulho da odisseia vigorosa do meu av. Desfrutamos de bons momentos e eu costumava ir na Sapataria Limongi, fundada por ele. Nossa famlia era numerosa e unida.

A emoo de neto com 76 anos de idade sugere que eu respire fundo para ento prosseguir contando trechos do fascinante livro de Carlos Sanches.

Na foto da capa, aparecem Sanches e a mulher, ris Paula da Silva Sanches, vestidos com trajes da poca dos imigrantes italianos. E voltando famlia do imigrante Conte: a senhora Filomena Conte casou-se com o senhor Jesus Benito Sanches. Tiveram 5 filhos, entre eles, o autor do livro.

Carlos Sanches sublinha que a histria dos imigrantes italianos, continua sendo escrita atravs de seus descendentes. “Uma histria de gente corajosa, amante do trabalho digno. Uma gente brava e gentil, ao mesmo tempo rude e carinhosa que ajudou com seu suor a forjar as bases da economia de Manaus”.

MANAUS ANTIGA – Outro personagem do livro o advogado Dlio Conte, filho do imigrante DomingosConte, um dos grandes comerciantes no ramo de sapataria, a exemplo do imigrante Vicente Limongi, nas duas primeiras dcadas do sculo passado. Dlio recorda passagens de Manaus dos velhos tempos. Onde a sede do Rio Negro Clube e a Praa da Saudade foi o Cemitrio So Jos. Havia o Aeroporto de Ponta Pelada, de cho barrento.

Os bondes eram meios de transportes. Profisses daquela poca eram carvoeiro, geleiro, aougueiro, peixeiro e vendedor de frutas. A graxa Amaznia foi inventada pelo pai dele, Domingos.

FAMLIA CABRAL – Dlio falou de um rapaz chamado Ceclio Cabral, irmo de Bernardo Cabral. Conhecido como Caroo, que um dia foi beber no bairro de Flores, num quiosque no final da linha do bonde.

“Caroo tinha um fsico avantajado e ocorreu um desentendimento com um policial que atirou e matou Caroo. Bernardo Cabral cursou Direito e se formou em advogado. Se tornou Delegado de Policia, exerceu vrios cargos importantes e por fim foi Ministro da Justia no Governo de Fernando Collor de Mello”.

Sinal dos bons tempos! Pela primeira vez, em 143 anos, uma mulher comanda a redao do Washington Post

Sally Buzbee

Sally Buzbee foi homenageada aps ser escolhida

VICENTE LIMONGI NETTO

Notcia pouco divulgada, auspiciosa, desafiante e tocante: Pela primeira vez, em 143 anos, uma mulher vai comandar a redao do famoso “Washington Post”. Trata-se de Sally Buzbee, atualmente vice-presidente da agncia Associated Press.

A partir de junho, Sally assumir o comando de quase mil profissionais. Nessa linha, observo e saliento que a jornalista Ana Dubeux, que no conheo de vista nem de chapu, diria Machado de Assis, exerce a diretoria de redao do Correio Braziliense com dedicao, iseno e competncia. Os textos dela so incisivos.

ANALISA OS DESTAQUES A diretora do Correio costuma fazer um apanhado dos fatos relevantes da semana. Notcias que estimulam a f e a confiana no ser humano. Ana Dubeux tambm no escamoteia acontecimentos que brutalizam a sociedade. Geralmente atrelados na covardia, na hipocrisia e na torpeza do patrulhamento srdido e atrasado.

No Correio do dia 16, Ana Dubeux foi certeira com o desapontamento e a chatice dos rancorosos que vivem no mundo da lua e no admitem que o jornal edite verdades que doem. Mudem de jornal ou sejam donos de um. Patticos e medonhos.

“O fato : o Brasil no levou a srio a pandemia. Negligenciou os cuidados, recusou vacinas, debochou dos alertas cientficos, sapateou em cima das estatsticas de morte. S a verdade resgata a paz”, escreveu a diretora.

CONFIAR NO CENTRO? – Sem novidade pelo menos para mim e leitores da Tribuna da Internet. Nada de modstia. Sexta-feira, o Estado publicou artigo do “The Economist”, intitulado “Bolsonaro, um presidente sob cerco”. Termina com palavras luminares de Rebeca Lucena, da Consultoria BMJ, como se estivesse descobrindo nova vacina contra a covid: “O Centro no leal. Se o navio estiver afundando, eles vo mudar de barco”.

mesmo, Rebeca? Nada diferente do que escrevi, aqui na nossa Tribuna, no meu artigo do dia 23 de maio: o Centro volvel e guloso. Seus membros odeiam dieta. Apoiam e mostram-se fiis a quem oferece mais vantagens.

Nesse sentido, a leitora Thelma B. Oliveira tambm argumenta firme e forte. custica e certeira (16/5): “O povo espera que se cumpra toda a investigao, mesmo aps o morticnio. No simples troca de ofensas. Faltou vergonha na cara ao apostar em tratamento fajuto. A verdade deve prevalecer, mesmo tardiamente. Por mais dolorosa e escabrosa que seja”.

NO “MODO IRONIA – Bolsonaro vibrou com a iniciativa norte-americana de sortear rifa para premiar quem se vacinou contra a Covid. A jovem Abbigail Bugenske, 22 anos, de Ohio, foi a vencedora e ganhou 1 milho de dlares.

O presidente Bolsonaro deu ordens expressas para a Caixa Econmica Federal, o BNDES, a Petrobrs e o Banco do Brasil faam o mesmo, distribuindo prmios atravs de rachadinha, desculpem, atravs de raspadinha.

Mandou Paulo Guedes raspar o cofre. Tudo pelas vacinas. Bolsonaro vai calar a boca dos adversrios. O Brasil acompanha e sabe que essa a maior preocupao do presidente Bolsonaro desde o incio da pandemia.

PRMIOS BOLSONVEIS – Os brasileiros sorteados na megaoperao contra a Covid-19 ganharo latas de leite condensado e caixas de chicletes e de cloroquina pelo resto da vida. Tambm sero homenageados com churrasco na manso do senador Flvio Bolsonaro.

Os felizardos sero vacinados por notveis brasileiros. Entre eles, o prprio Bolsonaro, o general Eduardo Pazuello, alm de Fabrcio Queiroz, Augusto Aras, Arthur Lira, Andr Mendona e pelos irmos Flvio, Eduardo e Carlos Bolsonaro.

Senadores da tropa de subservientes de Bolsonaro, na CPI da Pandemia, como Eduardo Giro e Marcos Rogrio, tambm sonham em participar da operao. Ficaro radiantes e eternamente agradecidos ao mito, e isso nem Freud explica.

um exagero, afirma Arthur Virglio sobre a convocao de Bolsonaro para a CPI

Virglio defende o respeito isonomia dos poderes

Vicente Limongi Netto

O ex-senador e ex-prefeito de Manaus, Arthur Virglio Neto (PSDB), usou suas redes sociais nesta quarta-feira (26.5) para se posicionar contra o requerimento apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que vice-presidente da CPI da Pandemia, convocando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a ser ouvido pelos parlamentares na condio de testemunha.

A convocao de um presidente para uma Comisso Parlamentar de Inqurito um exagero. H um arsenal de armas dentro da democracia para puni-lo por seus erros, como a figura do impedimento no prprio Congresso Nacional e a representao no Supremo Tribunal Federal. Na democracia no cabem hiprboles, basta apenas o cumprimento da lei, escreveu Virglio.

QUEBRA NA ISONOMIA – Ainda segundo o poltico amazonense, a medida uma quebra na isonomia de poderes. Todos sabem da minha posio de oposio ao governo de Jair Bolsonaro. Mas, coerente com a minha luta pela democracia, no concordo com a convocao do presidente para CPI da Pandemia, defendeu, ao lembrar do trgico suicdio de Vargas e o episdio da Repblica do Galeo.

Com todo respeito e amizade ao senador requerente, mas no sou a favor de atitudes extrademocrticas, extranormais ou extrajustas. Todas as vezes que houve golpe neste pas ns perdemos, porque s ganhamos, verdadeiramente, com a democracia, finalizou Arthur Virgilio.

A proposta do senador Randolfe Rodrigues ainda no foi votada, uma vez que o regimento interno do Senado prev que um requerimento deve ser apresentado com, pelo menos, 48 horas de antecedncia para ser apreciado pela CPI.

Nesta fase catica que o pas enfrenta, a experincia poltica deve ser valorizada

Sarney diz que Bolsonaro est no meio do furaco

Vicente Limongi Netto

O Correio Braziliense de 24/5 publicou matrias com dois lderes do MDB. Expoentes da poltica. Forjados em lutas democrticas e voltados ao bem comum. O ex-presidente Jos Sarney, que continua na ativa, e o senador Renan Calheiros, relator da CPI da Pandemia. O poltico, jornalista e escritor maranhense, membro da Academia Brasileira de Letras e acadmico, em sua gesto na Presidente da Repblica teve a misso histrica de conduzir o Brasil normalidade democrtica.

Na entrevista ao Correio, Sarney exortou o respeito cincia e a necessidade de maior empenho e solidariedade por mais vacinas. “Temos que bater em duas teclas, ajuda sobrevivncia, superao da fome e do desemprego e emprego, emprego, emprego”.

VITALIDADE DO MDB O senador Renan Calheiros, por sua vez, salienta a vitalidade poltica e eleitoral do MDB. Acentuao esprito democrtico do partido e as fortes convices pelas liberdades, voltadas para o engrandecimento da convivncia humana. Calheiros enfatizou:

“No serei relator das minhas convices, mas das provas reunidas durante a investigao. Terei coragem para inocentar os que mereceme dignidade para denunciar eventuais responsveis”. E prosseguiu:”Minha iseno e imparcialidade so premissas inarredveis, inegociveis. No futuro, minha condio de relator jamais ser objeto de arguies de suspeio”.

Ex-ministro da Justia do governo Fernando Henrique Cardoso, Renan finaliza exemplarmente: “No contem comigo para vinditas ou perseguies”.

TROPA SEM CHOQUE – Ainda a propsito da CPI, pattica a tropa de serviais do Palcio do Planalto. Com argumentos rasos, usam notcias requentadas e fora do contexto da comisso. Disputam entre si para ver quem leva o trofu do mais repugnante puxa-saco de Bolsonaro. So medocres e verborrgicos.

O filho 01 do mito de araque, Flvio Rachadinhas Bolsonaro, geralmente abre a boca para tumultuar os trabalhos. Um dos fantoches, Marcos Do Val,chegou ao cmulo da idiotice e do desespero de exigir, em requerimento, a troca do relator.

Outros governistas sabujos so os medonhos Marcos Rogrio e Eduardo Giro, uma dupla de parlapates para o Senado. Pobre Senado.

POUCO SE APROVEITA – Metidos a sabides, Pouco ou nada se aproveita do que os membros da tal tropa de choque usam como argumentos. E a lista dos melanclicos no acabou.

Ciro Nogueira um deles. Declarou, sem nenhum pudor, que o depoimento do mentiroso Pazuello foi “magnifico e perfeito”. No teme ser punido pelo papai do cu. Alm dele, h o gacho que fala aos berros, Luiz Carlos Heinze. Galhofeiros engravatados.

Como observou o jornalista Srgio Augusto, no Estado do dia 22, sobre essa turma:” preciso ter um bocado de coragem para ser to subserviente”.

PAZUELLO SE EXPLICA Ningum sabe o que Pazuello disse a seu amigo Braga Netto, ministro da Defesa. Eu imagino que tenha sido o seguinte.

No tinha a inteno de subir no carro de som. Mas o presidente me chamou e alguns admiradores insistiram. Releve minha fraqueza. Topei porque passaram pela minha cabea recordaes da infncia. Quando subia nas mangueiras com amiguinhos do peito. Saudades daqueles tempos, Braga. E subi no carro de som.

duro mentir em comisses de inqurito. Tento fazer tudo com a maior desenvoltura. Tenho orgulho das minhas misses cumpridas. Parece que vou ter de depor de novo, uma chatice. Mas a ordem livrar a cara do presidente, ento vamos l.

L em cima, no carro de som, todo mundo riu quando o presidente gritou ao microfone que eu era um gordinho camarada. Todos bateram palmas. O presidente se empolgou e me passou o microfone. Falei apenas meia dzia de palavras. Foi s isso o que aconteceu, pode acreditar.

Com ofensas e ironias, Bolsonaro ataca a Zona Franca e recebe pronta resposta de Aziz e Braga

Omar Aziz colocou Bolsonaro no seu devido lugar

Vicente Limongi Netto

Decididamente, Bolsonaro o fim da picada. Prossegue desfiando o desalinhado, pattico, mesquinho e irresponsvel rosrio de insultos, dios e destemperos antidemocrticos e vulgares. Diariamente o mito de meia pataca se supera em declaraes infames. Mostra que no tem postura nem compostura para exercer a chefia da nao.

O desespero corri a alma, o corao e os neurnios do presidente. Nessa linha, agora mira seu inacreditvel arsenal de ameaas, torpezas, canalhices e indignidades contra o modelo econmico vitorioso da zona franca de Manaus.

IRONIAS E AMEAAS – Emenda constitucional aprovada e promulgada validou a zona franca at 2073. No entanto, Bolsonaro dirigiu-se com ironias, insinuando ameaas a zona franca e aos senadores do Amazonas, Omar Aziz e Eduardo Braga, presidente e membro titular da CPI da Pandemia.

Tentou intimidar e esmorecer o trabalho isento e vigilante dos dois parlamentares, mas Aziz e Braga repudiaram as sandices e porra-louquices do destrambelhado presidente.

Em poltica vale tudo. De chute na virilha a juras de amor que acabem em casamentos. Contanto que renda votos. S no pode perder. O animal poltico insacivel.

DE HOJE PARA AMANH – Duros adversrios de ontem podem vir a ser aliados de amanh. s favas, escrpulos e ms recordaes, recheadas de mtuas acusaes. Arquivos e vdeos no mentem. Mas o cinismo embrulhado em busca do poder, supera tudo. Muitas vezes os arranca-rabos entre polticos no livram nem a cara das mes. Coitadas.

Nesse sentido, Lula reuniu-se com Fernando Henrique Cardoso. Na casa do ministro aposentado do STF e ex-ministro da Defesa, Nelson Jobim. Profissionais civilizados. As orelhas de Bolsonaro esto pegando fogo. A demanda do ex-presidente e socilogo tucano ser ampla e poderosa.

COSTURAS FUTURAS – Da cartola do encontro entre o calejado trio pode-se prever costuras futuras. Lula na rinha presidencial com vice do PSDB, no se descarta o nome do prprio FHC, e Nelson Jobim para ministro da Justia.

O fato indiscutvel que a conversa existiu. Negar a validade do encontro amadorismo politico. O estrilo livre. As crticas aos dois prosseguiro fortes. Bolsonaro deu chances aos desafetos e adversrios se unirem contra ele. Aguente o tranco. Apenas xingar, ttica do presidente, colossal desatino.

MANUAL DE REDAO Por fim, pedi a meu amigo Heraldo Pereira que alerte o barbudo Bonner (JN de sexta-feira, 21/5) que Nelson Jobim no ex-ministro do STF, mas, sim, ministro aposentado da Suprema Corte.

de pasmar, com uma equipe de dezenas de profissionais, Bonner no pode nem deve passar informaes equivocadas para o telespectador.

Diga a ele, craque Heraldo, que no STF no existe a figura de ex-ministro. ministro da ativa ou ministro aposentado. So aposentados, por exemplo, Gracie, Jobim, Veloso, Barbosa, Pertence, Sanches e Brito. Todos, alis, continuam recebendo salrios. Ex-ministro no recebe salrios.

No adianta tentar esconder: a CPI preliminar da disputa entre Bolsonaro e Lula

Vicente Limongi Netto

Tolice esconder a realidade: a CPI da Covid, alm de investigar omisses, falhas e irregularidades do governo no combate a pandemia, , tambm, preliminar da disputa presidencial entre Bolsonaro e Lula. No tem para mais ningum.

No brigo com fatos. Pelos depoentes j ouvidos e diante das investigaes que vo se aprofundando, o atual placar do jogo amplamente favorvel a Lula.

TM O COURO DURO – O presidente, o vice-presidente e o relator da comisso, mostram iseno. Agem com lisura. No so crianas. Levam pedradas, mas tm o couro duro. Por seu turno,os senadores governistas esto tontos. Sem munio suficiente para retrucar acusaes e revelaes. Que crescem como bolas de neve.

Diante do cenrio poltico desastroso que se avizinha, para si e para o governo, Bolsonaro parte para oataque. Com agresses e xingamentos ao relator e prpria CPI.Inclusive em Alagoas, Estado e reduto poltico de Renan Calheiros, onde o filho governador.

O objetivo do chefe da nao intimidar e enfraquecer o trabalho do senador do MDB. Se puder, arranc-lo da relatoria.

ALIADO DE LULA – Calheiros declarado aliado poltico de Lula. Destrambelhado, Bolsonaro j mandou o filho senador, fantoche de luxo do Palcio do Planalto, tambm provocar e escoicear Calheiros.Quanta besteira, Manuel Bandeira, bradariao saudoso mestre Helio Fernandes.

Poltica equivocada, superada e desastrada.Pai e filho fazem poltica com o fgado e no com o crebro. Bolsonaro mostra que pouco ou quase nada aprendeu nos 28 anos que passou no Congresso, como deputado federal.

Por sua vez, Lula igualmente tem recebido duros insultos de Bolsonaro. Macaco velho, Lula no passa recibo. Os desatinos de Bolsonaro crescem, na medida que Lula amplia vantagem, segundo pesquisas do DataFolha.

DEPENDE DO CENTRO – Bolsonaro que trate de mudar o foco vesgo e ensandecido de fazer politica e comece a cuidar da sua tbua de salvao, o famoso e imaculado Centro. Sem perder de vista que o Centro j foi parceiro amoroso de Lula e Dilma.

O Centro volvel e guloso. Seus membros odeiam dieta.Apoiam e mostram-se fiis a quem oferece mais vantagens.

E de volta cena poltica o articulado Eduardo Cunha, responsvel por colocar em votao, na Cmara, o pedido de impeachment de Dilma, enfraquecendo o PT e elegendo Bolsonaro. No canal CNN, j deu cidas cutucadas na CPI e no relator Calheiros. Cunha tornou-se o mais novo amigo de infncia de Bolsonaro. Quer a todo custo mostrar servio e eleger-se deputado federal pelo Rio de Janeiro. custa de Bolsonaro.

PAZUELLO EM CENA – O logstico ex-ministro da Sade, Eduardo Pazuello, vai com tudo para a CPI da Covid. Com o santinho do patrono do Exrcito, Duque de Caxias, no bolso. Embaixo do brao, receitas de cloroquina e chs caseiros. Com o peito estufado, vai encarar as perguntas mais solertes. Sem medo da verdade. No dar vexame. Sabe que nunca mentiu. Tem fidelidade canina pelo mito das trevas. Sabe as respostas na ponta da lngua.

Espera no ser aborrecido pelos senadores quando perguntado porque se omitiu no cargo, sobretudo durante as tragdias pela Covid, no Amazonas. Tambm subir nas tamancas, se algum senador tiver o desplante de saber porque sua passagem pelo ministrio da Sade foi um colossal desastre. L pelas tantas, pedir trgua para ir ao banheiro.

FANTSTICO! Na edio do ltimo domingo, tivemos uma prola no programa Fantstico. Foi no texto habitualmenteem tom arrogante do jovem reprter que surgiu na Globo de Braslia, fazendo um balano da CPI da Covid.

O jornalista global recordou o depoimento do presidente da Anvisa, informando que se tratava de Barras Torres, Almirante da Marinha.

E eu, provocador reprter de 76 anos, que sempre achei que o Barras Torres era Almirante do Exrcito…???!!! Fao o qu da vida?!

FHC agiu com franqueza, ao reconhecer que a reforma de Collor possibilitou o sucesso do Plano Real

Temer, Collor e FHC debateram os rumos do pas em programa da TV Conjur

Vicente Limongi Netto

Considero um absurdo, indignidade e mesquinharia o fato das pesquisas eleitorais omitirem o nome do ex-presidente e senador Fernando Collor. Diante da canalhice, lano a pergunta: quem tem medo de Collor de Mello? Nessa linha, a meu ver, entre todos os candidatveise presidenciveis de si mesmo, obscuros e fanfarres, colocados na rinha presidencial, Collor , disparado, o homem pblico mais preparado e mais qualificado para novamente exercer a chefia da nao.

FHC RECONHECE – Em recente programa na TV Conjur, do site Consultor Jurdico, com Fernando Collor e Michel Temer, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso reconheceu que graas ao plano econmico do governo Collor foi possvel incrementar o Plano Real.

Nessa mesma linha, nmeros da Fundao Casper Lbero revelam que a abertura da economia brasileira ao mercado internacional modernizou os variados segmentos da indstria. Ou seja, Collor tirou o Brasil das amarras do atraso.

Na rea da sade, a Unicef elegeu como os melhores do mundo, em 1991, os programas de sade pblica, “Agentes comunitrios de sade”, “Parteiras legais” e “Erradicao do Sarampo”. A OMS declarou que de 1990 a 1993, foram os anos em que o Brasil teve o nmero mais baixo de doenas de crianas.

OUTRAS CONQUISTAS – Em 1993, a ONU destacou o projeto “Minha Gente”, com o prmio “Modelo para a humanidade”. No governo Collor, foi promulgada a Conveno Internacional dos Direitos da Criana. Com Collor, o SUS tinha 498 mil leitos. Em 1990, graas aos acordos internacionais firmados por Collor, os cartes de crdito brasileiros passaram a ser aceitos em todo o planeta.

Com a abertura do mercado, empresas passaram a ter o Certificado Internacional de qualidade ISO 9000. Leis do governo Collor permanecem em vigor, como o Cdigo de Defesa do Consumidor e o Estatuto da Criana e do Adolescente.

REUNIO MUNDIAL NO RIO – Por iniciativa do governo Collor, realizou-se, no Rio de Janeiro, o primeiro encontro mundial sobre o meio ambiente, com a participao de mais de 100 de chefes de Estado.

O certame alavancou a preocupao mundial a respeito do tema. Creio, por fim, que Collor agiu bem, com altivez, sinceridade e dignidade, pedindo desculpas pelo confisco da poupana. Seu gesto foi alvo de elogios e cotoveladas. Reaes naturais de liberdade de expresso.

Todas as torpes acusaes de corrupo de seus levianos detratores foram repelidas, em dois julgamentos pelo STF. Collor o nico homem pblico brasileiro com dois atestados de idoneidade firmados pela Suprema Corte. Belo dia o legtimo e fiel relato da histria republicana far justia ao ex-presidente e atual senador.

NO DIA DAS MES – Bolsonaro reagiu com palavres por ter sido subestimado e colocado em segundo plano pelo ministro da Sade, Marcelo Queiroga, na CPI da Covid, que afirmou, taxativamente, que “o vrus da covid o nico inimigo do Brasil nesse momento”.

Por fim, vamos baixar o tom para lembrar que este domingo um Dia muito Especial. Me o refgio da alma. O encanto sorrindo. O amor infinito. A voz da maturidade. A presena iluminada. O caminho da sabedoria. O afago da luz divina. A ponderao cativante. A firmeza dos sentimentos. A amiga verdadeira. A proteo acolhedora. A bondade nos olhos. A sublime ternura. Asbia conselheira. A sombra do aconchego. O rosrio de virtudes. Tudo isso e muito mais.

Flvio Bolsonaro e Caio Andrade, dois nomes que merecem ser punidos e depois esquecidos

Mais uma vez, Flvio Bolsonaro demostra ser preconceituoso

Vicente Limongi Netto

Guardem os nomes da famigerada, pattica, repugnante e medonha dupla: senador (v l, v l…) Flvio Bolsonaro e Caio Mario Paes de Andrade, indicado pelo parlamentar para ser secretrio de Desburocratizao, Gesto e Governo Digital do Ministrio Pblico. Funo pomposa. Mas exercida por um desprezvel asno que chamou servidores pblicos de “espertinhos”.

Flvio Bolsonaro, por sua vez, o famoso “rei” das rachadinhas poca da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, aquele mesmo que comprou manso em Braslia por 6 milhes de reais. Desesperado, tentando livrar o couro do pai, o infame Flvio desdenhou das mulheres, em infeliz e estpida declarao na CPI da Covid.

LAVAR A BOCA – Na opinio do boal Flvio, as mulheres “j foram mais respeitadas e indignadas”. Os dois grosseiros, senador e secretrio, precisam lavar a boca com palha de ao e detergente, antes de insultar as mulheres e os servidores pblicos. e mulheres. Becios, arrogantes e engravatados, bem merecem o repdio e a indignao dos brasileiros de bem. #fora,estpidos.

Mudando de assunto, os ex-presidentes da OAB Nacional merecem ser lembrados nas comemoraes dos 87 anos da entidade. Nomes como Bernardo Cabral, Reginaldo Oscar de Castro e Ophir Cavalcante, entre outros, honraram a Ordem dos Advogados do Brasil. Exerceram o cargo com altivez, bravura, dignidade e patriotismo. Merecem ser homenageados.

DEU NO CORREIO – Alguns assuntos da edio do Correio Braziliense despertam muito interesse. Por exemplo, o ministro da Justia, Anderson Torres, pergunta, com laivos irnicos: “A CPI tem que ter um objetivo concreto, vai investigar exatamente o qu?”. A seguir, o desarticulado ministro acena com loas ao governo: “Vamos investigar quem viabilizou os recursos para o combate pandemia? Preciso entender melhor essa CPI”.

Nessa linha, creio que o editorial do jornal, “O que o Brasil espera da CPI”, responde com clareza e exatido, s pungentes dvidas do ministro da Justia: “O Brasil no quer politicagem. Quer saber se aes e omisses de agentes pblicos contriburam para agravar a tragdia que j ceifou mais de 400 mil vidas no pas. E se cometeram crimes, que sejam punidos. esse o ponto que interessa”.

BRASIL LASCADO – Por fim, tratando do BBB 21,sob o ttulo ” O Brasil t lascado”, no caderno Cidades, o excelente colunista Alexandre de Paula derrama-se em elogios ao brother Gilberto.

Endosso at as vrgulas do Alexandre. O pernambucano cativante. Porm, como assduo telespectador do programa, jogo minhas fichas, admirao, votos e torcida pelo primeiro lugar, na extraordinria paraibana Juliette. O terceiro lugar, acredito que ficar com o “entediante” Fiuk, como definiu Alexandre. O que, convenhamos, j demais para o caminho do filho do romntico Fbio Jnior e irmo da bela Cleo.

Tropa de choque do Planalto faz o possvel e o impossvel, mas a CPI segue em frente

Randolfe Rodrigues, vice-presidente, Omar Aziz, presidente, e Renan Calheiros, relator da CPI Foto: Edilson Rodrigues/Agncia Senado

Omar Azis teve de falar grosso para controlar os bolsonalistas

Vicente Limongi Netto

Em alguns tpicos relacionados com a CPI da Covid 19, o destaque que trs notrios senadores fantoches do governo Marcos Rogrio, Jorginho Mello e Eduardo Giro fracassaram na manobra de recorrer ao Supremo Tribunal Federal para colocar um relator amestrado para conduzir os trabalhos da CPI. Quanta besteira, Manuel Bandeira, diria Helio Fernandes.

Desfeita prontamente pelo ministro Ricardo Lewandowski, a manobra uma constatao de que o desespero entrou de vez nosgabinetes poderosos do Palcio do Planalto.

BATENDO CABEA – Ministros e assessores incompetentes, ineficientes e incongruentes batem cabea. Destrambelhados. Metem os ps pelas mos. Preferem agredir e ameaar. Perdem tempo. Isso no cola com Renan Calheiros, Randolfe Rodrigues e Omar Aziz.

O trio que comanda a CPI est mais interessado em trabalhar por resultados que indiquem as mazelas e omisses do governo no combate ao coronavrus. Quem for podre, que se quebre, avisou Omar Aziz.

Sbios de barro que rodeiam Bolsonaro deveriam botar nas cabeas ocasque a CPI da Covid no vai esmorecer, recuar nem colocar problemas embaixo do tapete.

MITO CARNAVALESCO – Bolsonaro, o mito de barro, chamoua CPI da Covid de “carnaval fora de poca”. E o povo adora carnaval. a vlvula de escape dos brasileiros em tempos difceis. Deveria ter carnaval e copa do mundo todo ms, ensinava o mago (sem aspas) Golbery do Coutto e Silva.

Fantasiado de vacina, o povo vai sambar, pular e cantar durante aCPI. Enquanto negacionistas vo acender velas, contristados, na quarta-feira de cinzas do enterro do governo.

O presidente da CPI, senador Omar Aziz, colocou freio nos aodados, pretensiosos e arrogantes fantoches palacianos, cuja misso atrapalhar e evitar possveis convocaes que possam trazer embaraos ao mito de plstico.

MANOBRA FRUSTRADA – Outra torpe e infametarefa dosoffice-boys de Bolsonaro foi insistir em desacreditar e provocar o relator Renan Calheiros. O presidente Aziz foi taxativo com os patetas. Disse que a CPI maior e mais importante do que ele, do que o vice-presidente e tambm mais importante do que Renan Calheiros. E perguntou aos ulicos de Bolsonaro: “Vocs tm medo da CPI ou do Renan Calheiros?”.

A seu ver, todos os senadores so iguais. No tem ningum melhor do que o outro. Embora alguns sem noo se achem. Aziz duro na queda. Experiente e acostumado a batalhas rduas. No tem medo de cara feia. H 40 dias perdeu um irmo com a Covid. Mesmo assim, no demonstra rancor.

QUADRO MEDONHO – A CPI da Covid mostra como medonho o quadro de muitos dos atuais senadores. Medocres e deslumbrados refns da parte podre das redes sociais. Falam montes de besteiras e logo so apoiados e estimulados pelos covardes do gabinete do dio e seus canalhas robs.

Lamentvel que na difcil quadra atual, um despreparado e pattico time de senadores cubra de vergonha parlamentares que engrandeceram a Cmara Alta, como Bernardo Cabral, Petrnio Portela, Marcos Freire, Jos Sarney, Henrique La Roque, Afonso Arinos de Melo Franco, Franco Montoro, Lauro Campos, Flvio Brito, Herclito Fortes, Albano Franco, Edison Lobo, Josaf Marinho, Teotnio Vilela, Arnon de Mello, Henrique Santillo, Paulo Brossard, Paulo Torres, Antnio Carlos Magalhes, Arthur Virglio Filho, Artur Virglio Neto e Nelson Carneiro.

###
P.S. – Estarrecedora e pattica mesquinharia e covardia da OAB de So Paulo, cassando a carteira de advogado do ex-governador Jos Maria Marin. Em casa, fragilizado pela doena e pela idade avanada, sem advogar h anos, por que humilh-lo? (V.L.N.)

Pior do que a canalhice de Wajngarten, s a candidatura de Kajuru a presidente da Repblica…

Para entender Kajuru | UOL Esporte

“Se Huck candidato, tambm posso ser”, diz Jorge Kajuru

Vicente Limongi Netto

No h como discordar da opinio de graduados do Palcio do Planalto (Folha, Mnica Bergamo – 24/04), segundo a qual a entrevista do ex-secretrio de Comunicao, Fbio Wajngarten, para a Veja foi uma colossal “canalhice”. sempre desprezvel, ingrato e covarde quem sai atirando e cuspindo no prato que comeu, lambendo os beios.

Mas o Brasil est salvo. Surge altivo e serelepe na rinha presidencial, como candidato de si mesmo, o alvissareiro senador Jorge Kajuru. Na cabea, alm de dois neurnios, um com dengue, outro com sarampo, uma imprescindvel melancia para se fazer notar.

FILME PREMIADO – “Cora Coralina- Todas as vidas” foi agraciado com a Margarida de Prata da CNBB, na categoria documentrio longa-metragem.

Produo de Mrcio Curi, Beth Curi e Carmen Flora. Direo de Renato Barbieri, com Joana Limongi na funo de primeira assistente de direo. No elenco, Walderez de Barros, Tereza Seiblitz, Beth Goulart, Maju Souza, Zez Motta e Camila Mrdila.

Nossa querida Joana fala com entusiasmo de Cora Coralina: “A trajetria da vida de Cora Coralina, sua obra e viso do mundo fazem dela uma das personagens mais ricas e inspiradoras de nossa histria”.

61 ANOS DA CAPITAL – Aplaudindo com entusiasmo o teor do editorial “A Braslia do futuro” (Correio Braziliense – 21/04) salientando o vigor dos 61 anos da capital federal, recordo trechos de depoimento que dei ao Correio na edio de 21 de abril de 1980, ao lado de outros jornalistas, como Hlio Doyle, Roberto Macedo e Alfredo Obliziner (j no cu), pelos 20 anos da capital federal.

O tempo voa, mas as palavras ficam. Muitas delas sempre presentes. Que precisam ser cobradas e salientadas: Confio num futuro cada vez mais digno e melhor para todos que aqui vivem; mais sorte, com mais oportunidades para a maioria. Mas, para isso, mos obra! Nada cai do cu, a no ser chuva.

ORDEM E RESPEITO – Que impere o sentimento de ordem. No s no lar, mas na escola, no convvio com a sociedade. Dentro do respeito lei, dos direitos humanos, no amor ao futuro e no acatamento aos conselhos do passado. Que diminuam as injustias. Estas liquidam com as esperanas da juventude, que, como refugo, acolhe-se no torpor do vcio, para anestesiar os espinhos de desencantos.

Os governantes precisam lutar para acabar com isso. Sendo Brasilia a capital do pas, suas responsabilidades com a comunidade naturalmente ficam redobradas.

Quando falo de governantes, incluo o Presidente da Repblica e ministros de Estado e de Tribunais Superiores.

OUVINDO O POVO – Politicamente, creio que o povo de Braslia precise ser ouvido e cheirado. No concebo reformas sem a aquiescncia do povo, sem o pronunciamento da maioria.

O candango no merece os ventos da abertura? Entre o governo de Braslia e a comunidade, a afinidade deve ser, sempre, mais ampla e aberta. Os interesses se conciliam. Da mesma forma as contrariedades e prejuzos.

Entremos nessa. Dando o que o povo quer, Braslia ficar melhor. A recompensa maior, no caso, ser para nossos filhos.

COVARDIA PUNIDA – Exemplar sentena da justia norte-americana, condenando com 40 anos de cadeia o policial covarde que matou por asfixia, o cidado George Floyd. Pena que a justia brasileira tambm no seja rigorosa para maus policiais que assassinam implacavelmente, sem d nem piedade, crianas, adolescentes e adultos.

Por fim, uma homenagem ao brasileiro que transformou o futebol no esporte mais importante do mundo. Ser celebrada uma missa em ao de graas pelos 100 anos do Dr. Joo Havelange, na Parquia de Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, no dia 09/05/2016, s 19 horas.

Salve o nosso guerreiro ninja centenrio!

Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, avisa que todos os podres sero levados a pblico

O senador Omar Aziz: 'So Paulo, por acaso, est vivendo um mar de rosas?'

Governadores e prefeitos tambm erraram muito, afirma Aziz

Vicente Limongi Netto

Bolsonaro ter pesadelos com o trio de senadores, escolhidos para os principais cargos na CPI da Covid: Omar Aziz, Renan Calheiros, e Randolfe Rodrigues. So calejados, tm esprito pblico e jogam duro. No alisam. No daro trgua. E vo exigir punies severas aos maus brasileiros que desonram as funes que ocupam.

o que clama a nao, indignada, sofrida, humilhada, penalizada,desorientada e desesperada. Sem vacinas suficientes e passando necessidades. Orando pelos 360 mil brasileiros que partiram.Clamando por trabalho e sustento.

HORA DA VERDADE – O jogo poltico no para amadores. “Quem for podre, que se quebre”, alertou Omar Aziz, senador pelo Amazonas. Diz que a CPI no pode virarpalanque eleitoral. Sob pena de cair no ralo do descrdito. Muito menos ser instrumento de caa s bruxas.

Porm, a tropa dos exaltados no esquecer doimenso rosrio de sandices, deboches e insultos de Bolsonaro cincia, covid-19, e aos adversrios. A CPI cobrar explicaes. Aqui se faz, aqui se paga.ɠbom que o presidente continue pedindo socorro ao Todo Poderoso. A batata dele vai assar. E o couro virar pandeiro para as eleies de 2022.

EU E MEU ATOR – Qual o ator que voc gostaria que fosse seu bigrafo no cinema? A pergunta foi feita, em tom de doce brincadeira, aos profissionais da Globonews. No programa Estdio 1. Para divertir. Arejar e relaxar a cabea. Diante do estafante e massacrante noticirio da pandemia. Alm da misria e da fome que assolam e humilham o Brasil.

Valdo Cruz, que de bobo no tem nada, escolheria o bonito George Clooney. Natuza Nery ficaria contente com Flvia Alessandra. Maria Flor aceitaria, numa boa, a bela Letcia Spiller. A pergunta bombou nas redes sociais. Todos tirando onda e escolhendo seus intrpretes preferidos. Afinal, sonhar de graa. Mas o programa conduzido pela sorridente Maria Beltro acabou sem revelar mais personagens famosos e seus respectivos bigrafos.

MINHAS SUGESTES Assim, para manter a alegria da galera, revelarei, com absoluta exclusividade, novos nomes e seus intrpretes na emocionante e luxuosa caa aos bigrafos:

Heraldo Pereira (Lzaro Ramos), Cludia Bomtempo (Camila Pitanga), Eliane Cantanhede (Carmen Lcia), Bolsonaro (Joo Dria), Jorge Kajuru (Flvio Bolsonaro). Juca Kfouri (Deltan Dallagnol); Lula (Srgio Moro); Rodrigo Pacheco (Davi Alcolumbre); Randolfe Rodrigues (general Heleno); Willian Bonner (Eduardo Pazuello); Andr Mendona (Bispo Macedo), Fernando Gabeira (Chico Buarque), Cesar Trali (Datena), Gerson Camarotti (Galvo Bueno), Jos Sarney (Merval Pereira), Flvia Arruda (Renata Vasconcelos), Ibaneis Rocha (J Soares), Fausto Ribeiro (Ronaldo Fenmeno), Chico Vigilante (Marcelo Queiroga), Alysson Paulineli (Silvestre Gorgulho), Arthur Lira (Eduardo Bolsonaro), Ivete Sangalo (Cludia Raia), Cludia Leite (Juliette) e Fernando Henrique Cardoso (Dad Maravilha). ou no um elenco de fofos?